Associação Portuguesa de Psicogerontologia

 

3

Envelhecer vivendoAnabela Mota Pinto (Coord)

6

O Envelhecimento: Factos e TeoriasLadislas Robert

14

Envelhecimento, empowerment e capacitação – seminário sobre envelhecimento humanoGracinda Cândida Neves (Coord)

19

Envejecimiento cognitivoDenise Park, Norbert Schwarz

22

O EnvelhecimentoLadislas Robert

23

Envelhecimento e saúde mentalJoão Barreto

32

La Eutanasia – Aspectos Eticos y JurídicosMaría Casado González

59

Essencials of clinical geriatrics – 3rd editionRobert L. Kane, Joseph G. ouslander, Itamar B. Abrass

 71

Educación y EnvejecimientoA. Víctor Martín García

 101

Envejecer – una antropologia de la ancianidadJosep M. Fericgla

130

L’évaluation Clinique Standardisée en Psychiatrie
(Tome I)
J. D. Guelfi (Dir.)

131

L’évaluation Clinique Standardisée en Psychiatrie
(Tome II)
J. D. Guelfi (Dir.)

150

Experimental Mental Measures – Volume 6Bert A. Goldman, David F. Mitchell

151

Experimental Mental Measures – Volumes 4-5Bert A. Goldman, William L. Osborne, David F. Mitchell

152

Experimental Mental Measures – Volumes 1-3Bert A. Goldman, John L. Saunders, John C. Bush

156

Evaluations en GerontologieLiliane Israël, Djordje Kozarevic, Norman Sartorius

 159

Enfermedad de Alzheimer y otras demenciasR. Alberca, S. López-Pousa

 172

Estatísticas da saúde – continente, açores e madeira, 1989Instituto Nacional de Estatística

 173

Estatísticas da saúde – continente, açores e madeira, 1990Instituto Nacional de Estatística

175

Estimativas de População Residente em 1992Instituto Nacional de Estatística

 176

Estatísticas da saúde 1991-1992Instituto Nacional de Estatística

177

Estatísticas Demográficas 1992Instituto Nacional de Estatística

178

Estatísticas Demográficas 1993Instituto Nacional de Estatística

 179

Estatísticas da saúde 1993Instituto Nacional de Estatística

180

Estudo Sobre o Poder de Compra do ConcelhoInstituto Nacional de Estatística

 181

Estatísticas da saúde 1995Instituto Nacional de Estatística

 182

Estatísticas da protecção social 1995-1996Instituto Nacional de Estatística

 183

Estatísticas da saúde 1996Instituto Nacional de Estatística

 185

Estatísticas da saúde 1997Instituto Nacional de Estatística

 186

Estatísticas da saúde 1997Instituto Nacional de Estatística

 187

Estatísticas da saúde 1998Instituto Nacional de Estatística

188

Estatísticas da Saúde 1998Instituto Nacional de Estatística

189

Estatísticas Demográficas 1999Instituto Nacional de Estatística

196

Eurostat Anuário 95Y. Franchet (Dir.)

197

Eurostat Yearbook 2001 – The Statistical guide to
Europe – Data 1989-1999
Y. Franchet (Dir.)

232

Estatísticas de Base da União EuropeiaEurostat

240

Estudo de Um Quadro Demencial em Doentes
VIH-1 e SIDA” – dissertação da Licenciatura em Psicologia Clinica
Rui Jorge Paulo de Amorim

243

O Envelhecimento PsicológicoDaniel Santos e Silva

256

Estatísticas Demográficas 

262

European Master GerontologyAndrus Viidik, Martha Meyer, René van Rijsselt (Ed.)

 267

Envelhecer bemDirecção Geral de Acção Social (Ed)

276

O Envelhecimento – Desafios e Estratégias Alternativas de IntervençãoAna Isabel Líbano Monteiro, Maria Arlete

277

O Envelhecimento – Experiências Inovadoras em
Portugal
Comissão Nacional para a Política da Terceira Idade

 284

Essencials of clinical geriatricsRobert L. Kane, Joseph G. Ouslander, Itamar B. Abrass

286

Estatísticas Demográficas 2002José Mata (Dir.)

317

O Envelhecimento – Uma Abordagem PsicológicaAntónio Manuel Fonseca

 334

Essencial psychopharmacology – the prescriber’s guideStephen M. Stahl

 339

Envelhecimento no feminino: um desafio para o novo milénioMaria Paula Nunes

 340

Epidemiology of aging – an ecological approachWilliam A. Satariano

 343

Encenação do verCisela Björk

 385

Envelhecer com saúdeBelina Nunes

Associação Portuguesa de Psicogerontologia

A Associação Portuguesa de Psicogerontologia-APP, Instituição Particular de Solidariedade Social sem fins lucrativos e de âmbito nacional, dedica-se às questões biopsicológicas e sociais inerentes ao envelhecimento e às pessoas idosas, visa a promoção da dignificação, respeito, saúde, autonomia, participação e segurança das pessoas idosas, num quadro de envelhecimento ativo e de solidariedade intergeracional, e de uma sociedade mais inclusiva para todas as idades, promove novas mentalidades e combate estereótipos negativos relativamente à idade e ao envelhecimento.

Artigos Relacionados