Associação Portuguesa de Psicogerontologia

Mortalidade pelo H1N1 é maior entre idosos

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Partilhar no LinkedIn

Mortalidade pelo H1N1 é maior entre idosos

Dados referentes a um estudo feito no México, entre o final de Abril e o final de Julho, revelam que a gripe A (H1N1) causou mais vítimas mortais entre os idosos, apesar de os mais jovens contraírem mais o vírus.

O estudo publicado na semana passada na edição online da revista “The Lancet”, liderado por Victor Borja-Aburto, do Instituto Mexicano da Segurança Social, analisou os processos clínicos de 63.479 pessoas atendidas em estabelecimentos de saúde públicos com sintomas de gripe.

Os testes revelaram que, desse total, 6.945 pessoas – ou seja 11% – estavam realmente infectadas pelo vírus H1N1, tendo cerca de metade delas entre 10 e 39 anos.

Refere o estudo que os idosos que contraem a gripe A morrem mais do que os jovens: nos doentes com idades entre os 60 e 69 anos registou-se uma taxa de mortalidade de 5,7% de mortes e, nos doentes com mais de 70 anos, essa taxa foi de 10,3%. Em contraste, a taxa de morte entre os infectados na faixa etária dos 20 anos foi de 0,9%.

Associação Portuguesa de Psicogerontologia

A Associação Portuguesa de Psicogerontologia-APP, Instituição Particular de Solidariedade Social sem fins lucrativos e de âmbito nacional, dedica-se às questões biopsicológicas e sociais inerentes ao envelhecimento e às pessoas idosas, visa a promoção da dignificação, respeito, saúde, autonomia, participação e segurança das pessoas idosas, num quadro de envelhecimento ativo e de solidariedade intergeracional, e de uma sociedade mais inclusiva para todas as idades, promove novas mentalidades e combate estereótipos negativos relativamente à idade e ao envelhecimento.

Artigos Relacionados