Associação Portuguesa de Psicogerontologia

Nestlé, CGD e Pingo Doce são as marcas preferidas dos seniores

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Partilhar no LinkedIn

Nestlé, CGD e Pingo Doce são as marcas preferidas dos seniores

Estudo da Deloitte e da Synovate revela as preocupações e preferências do ‘target’ senior.

Serem fiéis às marcas de sempre é uma das principais características do ‘target’ sénior, revela um estudo da Deloitte e da Synovate. E esta tendência torna-se mais evidente no sector alimentar. Assim se percebe porque é que a Nestlé é eleita como a marca alimentar de maior confiança para os séniores portugueses (23%), seguida da Mimosa (20%) e da Becel (13%). Na banca acontece o mesmo – 80% trabalham apenas com uma instituição financeira, sendo a Caixa Geral de Depósitos o banco principal (para 54% dos inquiridos). Em segundo lugar aparece o Banco Espírito Santo, que é mais relevante para aqueles que ainda estão activos.

Ao contrário do que se pensava até aqui, os séniores são um segmento da população em crescimento, com maior poder de compra e que, muitas vezes, se sente ainda jovem, apesar de ter mais de 65 anos. Por isso mesmo tentam prevenir o envelhecimento e cuidar da saúde (90% confessa que a principal preocupação é a saúde, mas 77% da amostra admite preocupar-se também com a aparência). De acordo com este estudo, mensalmente é gasta uma média de 26 euros em produtos de beleza, e sete em cada dez inquiridos afirma utilizar cosméticos, sendo a Nívea a marca líder. Mas a saúde tem um forte impacto no orçamento mensal, sendo gasta uma média de 70 euros por mês, e nove em cada dez inquiridos referem ter gastos em medicamentos ou em serviços de saúde.

Outra das características deste ‘target’ é procurarem ser modernos e actuais, e preocupam-se com a solidão e a integração na sociedade, com sentirem-se úteis e serem independentes. A família tem para eles um papel importante e 89% considera que este é um aspecto importante da sua vida. Questões como a alimentação (e apesar de terem alguns cuidados, é fundamental que a comida lhes dê prazer), a qualidade de vida ou o dinheiro também os preocupam, mas surgem mais atrás no ‘ranking’.

Apesar do maior poder de compra – e consumir faz com que se sintam activos – o consumo está muito focado nos bens essenciais e saúde -, mas se os mais velhos se preocupam com a poupança, também há muitos que passam a ter um consumo mais impulsivo. Mensalmente é gastar uma média de 198 euros em alimentação para a casa, sendo as marcas brancas as de maior destaque. E destas as mais referidas são as marcas Dia/Minipreço e Pingo Doce, uma vez que estes são também os supermercados mais frequentados pelos seniores – 19% e 23%, respectivamente – o que se explica pelos preços baixos mas também pela localização, uma vez que se encontram em zonas residenciais.

Ver televisão é a forma como este ‘target’ ocupa grande parte do tempo, com especial destaque para a televisão generalista (98%), seguindo-se bem mais atrás o cabo (45%). A rádio é outro dos media preferidos para 69% dos inquiridos. Mas já a Internet e as novas tecnologias estão longe de ocupar um lugar de destaque por se sentirem pouco actualizados: apenas 17% diz passar algum tempo a navegar na Internet.

Retirado de http://economico.sapo.pt

Associação Portuguesa de Psicogerontologia

A Associação Portuguesa de Psicogerontologia-APP, Instituição Particular de Solidariedade Social sem fins lucrativos e de âmbito nacional, dedica-se às questões biopsicológicas e sociais inerentes ao envelhecimento e às pessoas idosas, visa a promoção da dignificação, respeito, saúde, autonomia, participação e segurança das pessoas idosas, num quadro de envelhecimento ativo e de solidariedade intergeracional, e de uma sociedade mais inclusiva para todas as idades, promove novas mentalidades e combate estereótipos negativos relativamente à idade e ao envelhecimento.

Artigos Relacionados