Associação Portuguesa de Psicogerontologia

INE: Projecções de População Residente em Portugal, 2008-2060

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Partilhar no LinkedIn

INE: Projecções de População Residente em Portugal, 2008-2060

De acordo com a estimativa efectuada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), Portugal terá três idosos por cada jovem, para os próximos 50 anos. 

O INE divulgou ontem a publicação “Projecções de população residente em Portugal, 2008-2060”, indicando que o número de habitantes continuará a aumentar até 2034, ano em que atingirá os 10 898, 7 milhares de indivíduos. Depois, começará a diminuir, mas sem descer abaixo dos dez milhões de habitantes até 2060. Isto, segundo as estimativas mais optimistas, porque também há a possibilidade dos níveis de fecundidade reduzirem e a população decrescer já a partir de 2016, podendo os efectivos populacionais atingir os 8 910, 7 milhares de indivíduos em 2060.

Em qualquer dos dois cenários, a proporção dos residentes com menos de 15 anos reduzir-se-á de 15,3% em 2008 para 55,7% em 2060; tal como a população em idade activa sofrerá uma diminuição de 67,2% para 55,7%. E apenas o número de idosos aumentará, de 17,4% para 32,4%, sendo cada vez maior o índice de envelhecimento do País.

O INE prevê novos fluxos migratórios, com vantagem para o número de imigrantes, mas estes saldos positivos não serão “suficientes para atenuar o envelhecimento demográfico”. E o mesmo acontecerá se houver uma maior contribuição da componente da fecundidade, até porque se prevê, também, uma maior da esperança de vida.

Associação Portuguesa de Psicogerontologia

A Associação Portuguesa de Psicogerontologia-APP, Instituição Particular de Solidariedade Social sem fins lucrativos e de âmbito nacional, dedica-se às questões biopsicológicas e sociais inerentes ao envelhecimento e às pessoas idosas, visa a promoção da dignificação, respeito, saúde, autonomia, participação e segurança das pessoas idosas, num quadro de envelhecimento ativo e de solidariedade intergeracional, e de uma sociedade mais inclusiva para todas as idades, promove novas mentalidades e combate estereótipos negativos relativamente à idade e ao envelhecimento.

Artigos Relacionados