Associação Portuguesa de Psicogerontologia

Caixa de medicamentos informatizada

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Partilhar no LinkedIn

Caixa de medicamentos informatizada

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave está a desenvolver uma caixa de medicação instrumentada, concebida para fazer a dosagem de medicamentos de forma automática. É mais um passo e um produto imporntante para pessoas idosas ou com problemas de memória, disse, esta terça-feira, fonte do organismo, avança a agência Lusa.

O director do curso de Engenharia Eléctrica, João Vilaça adiantou à Lusa que a caixa integra um projecto intitulado “Mind companion – Uma solução tecnológica de apoio ao doente de demência e aos que o rodeiam”, e que envolve as áreas das ligações familiares, higiene pessoal, e monitorização das tarefas diárias.

O investigador adiantou que o curso, sediado em Barcelos, está, também, a estudar, no quadro de uma parceria com o Instituto de Ciências da Saúde da Universidade do Minho, a produção de próteses electrónicas e de simuladores cirúrgicos para apoiar o médico no treino ou nas operações.

Investiga, ainda, a criação de uma cadeira de rodas dirigida pelo cérebro da pessoa – nomeadamente com paralisia cerebral –, que apenas terá de rodar a cabeça da direita para a esquerda conforme a direcção que quer seguir.

João Vilaça revelou que “a solução tecnológica de apoio a idosos e doentes de demência promove a autonomia e combate os problemas de isolamento”.

A solução desenvolve-se em quatro eixos: realização de ligações virtuais multimédia, previamente orquestradas, entre o paciente e os familiares e amigos, monitorização dos hábitos de higiene, controlo activo da toma de medicação e exercitação da memória.

Passa pela instalação de um sistema de ligações virtuais multimédia que permite aos familiares e amigos prepararem previamente conversas que irão ter entre si.

O “Mind” efectua, ainda, “a monitorização activa da higiene, através de uma rede de sensores instalados na habitação”. Contém, por outro lado, uma superfície com células de carga, que assinala quedas e uma caixa de medicamentos equipada com sensores magnéticos, que permitem aceder à medicação ou bloqueá-la.

No que toca ao “controlo de tarefas diárias”, a aplicação, desenvolvida para Windows mobile, faz o registo das tarefas diárias a executar, caso das refeições, e de algumas limpezas.

Fonte: Lusa

Associação Portuguesa de Psicogerontologia

A Associação Portuguesa de Psicogerontologia-APP, Instituição Particular de Solidariedade Social sem fins lucrativos e de âmbito nacional, dedica-se às questões biopsicológicas e sociais inerentes ao envelhecimento e às pessoas idosas, visa a promoção da dignificação, respeito, saúde, autonomia, participação e segurança das pessoas idosas, num quadro de envelhecimento ativo e de solidariedade intergeracional, e de uma sociedade mais inclusiva para todas as idades, promove novas mentalidades e combate estereótipos negativos relativamente à idade e ao envelhecimento.

Artigos Relacionados